Artigos

7 tendências para 2016

“Mais do que previsões, são observações que enxergamos na mídia e na sociedade e que podem causar um impacto relevante na área de mídia em 2016″. Confira o artigo de Daniel Chalfon para a APP.

daniteste

Começo de ano é época de promessas e previsões.

As promessas de entrar na academia, fazer dieta, comer menos doces e etc a gente quebra.

As previsões a gente erra :)

Então quando a APP me pediu um artigo sobre previsões achei melhor apontar as 7 tendências que acredito que devemos observar com atenção.

Mais do que previsões, são observações que enxergamos na mídia e na sociedade e que podem causar um impacto relevante na área de mídia em 2016.

  • Maior disputa por share entre os meios.

Com o PIB retraído, e o mercado de publicidade acompanhando esta tendência, só quem conseguir crescer share será capaz de ampliar o volume de negócios.

  • Crescimento dos negócios em torno do Esporte.

2016 é ano de olimpíadas no Brasil, além disso o aquecimento da disputa pelos direitos de transmissão esportivas fará com que o cenário de publicidade em torno do tema necessite de mais recursos captados via publicidade.

  • Cinema crescendo ainda mais

O crescimento da bilheteria em 2015, aliado a lançamentos importantes como a Era do Gelo entre outros deve acelerar ainda mais o meio como opção de entretenimento nesse momento de orçamentos mais reduzidos da família brasileira.

  • Video digital em todo lugar

Video é o formato de comunicação mais completo que inventamos até hoje. E as empresas de tecnologia aliam isso ao fato de que o formato agrega custos por mil mais interessantes do que as peças gráficas.

  • Mais segmentação

No momento de retração as empresas vão optar por comunicar com mais intensidade apenas no público com real poder aquisitivo para comprar seus produtos e serviços, deixando um pouco de lado a base da pirâmide que vinha ascendendo economicamente.

  • Explorar novos targets

Novas segmentações e novos usos para produtos podem ser a saída para o crescimento. Em especial o público acima de 55 anos de idade, tradicionalmente pouco explorado nas estratégias de marketing.

  • Consolidação de veículos de comunicação

Tradicionalmente o Brasil não é um país onde as fusões e aquisições no setor de mídia aconteçam com frequência. Mas com o Real barato, e empresas com bons produtos no mercado que podem se beneficiar da escala que uma aquisição pode proporcionar, é algo para ficarmos atentos.

Em 2017 a gente vê se as tendências foram para valer, ou se ficarão na memória ao lado das minhas promessas de ano novo.

Feliz 2016.

*Daniel Chalfon é VP de Mídia da LDC Agency e Presidente do Grupo de Mídia.