Artigos

A importância e o futuro do rádio em tempos de crise

Por Patrícia Souza, Trade Marketing no Sistema Globo de Rádio.

Por Patrícia Souza, Trade Marketing no Sistema Globo de Rádio

Companheiro de populações mundo afora, o rádio já enfrentou guerras, crises e duras concorrências e, mais uma vez, se prova como principal fonte de informação e entretenimento em um momento de grande ansiedade e preocupação para a humanidade.

Em meio à pandemia, os meios de comunicação tem exercido um papel essencial em nossas vidas, seja nos trazendo conteúdo relevante e factual ou nos divertindo com entretenimento e música. Em qualquer um desses aspectos, o rádio é protagonista quando o assunto é acompanhar a jornada de consumo do ouvinte.

A agilidade, credibilidade e interatividade são inerentes ao meio e não o limitam à sua essência, que vai muito além do dispositivo. O rádio é áudio multiplataforma que pode ser consumido ao vivo ou on demand em uma variedade de formatos.  Não é a toa que 2020 é considerado o ano do áudio.

Nestes primeiros dias de isolamento social, pude acompanhar um pouco dos hábitos de meus vizinhos e, apesar de gostos completamente diferentes, eles compartilham a paixão pelo áudio. Minha rua nunca fica em silêncio, tem sempre algum conteúdo para ocupar o ambiente.

Confesso que os sons podem incomodar alguns momentos do meu home office, mas é gratificante como profissional do meio ver que ele resiste à qualquer crise imposta a ele. Muito mais que uma plataforma, o rádio é o símbolo universal do potencial e da força da prestação de serviços através de uma comunicação dirigida. 

Considerado o meio com maior alcance no mundo, o rádio segue ofertando inúmeras possibilidades aos seus ouvintes. Entre eles, o meu favorito: o podcast, que se destaca pela infinidade de temas e conteúdos exclusivos com narrativas que nos prendem do começo ao fim, sem perder o tom intimista.

Mesmo com a Covid-19 mudando a rotina de todo o mundo, a demanda por informação e entretenimento não vão diminuir e o rádio deve aproveitar o momento para divulgar ao mercado anunciante aquilo que seus ouvintes já sabem: o rádio é habitual à rotina da população e sua presença aumenta à medida que nos tornamos multitarefas e multiconectados.