Artigos

Um ano de muito trabalho para o Conar

Institucional

O ano de 2015 foi de trabalho intenso no Conar, em especial no Conselho de Ética, com 111 sessões de julgamento ao longo do ano, nas câmaras de São Paulo, Rio, Porto Alegre, Brasília e Recife. Praticamente todos os cerca de 150 membros do Conselho de Ética estiveram presentes às sessões. Eles representam anunciantes, agências, veículos, profissionais de propaganda e sociedade civil no Conselho, trabalhando – nunca é demais lembrar – de forma totalmente voluntária para a promoção da ética publicitária.

Ao longo de 2015, foram quase 300 os processos julgados pelo Conselho de Ética, mais da metade deles tendo sido encerrados com algum tipo de penalização para o anunciante e sua agência. Apenas no mês de setembro, o Conselho de Ética debateu e votou 50 processos.

Outra demanda que exige a atenção do Conselho de Ética são as reuniões de conciliação, em número superior a 50 em 2015, quantidade só superada em anos recentes pelas de 2013. As reuniões de conciliação são uma face menos conhecida do nosso trabalho. Sempre que nos polos litigantes há empresas associadas ao Conar, promovemos uma reunião de conciliação entre elas, visando dirimir o desacordo sem que seja necessário levar adiante o processo ético.

Nestas reuniões, há presença de um membro do Conselho de Ética – aquele indicado relator do processo – e de um profissional do Conar, na qualidade de facilitador dos entendimentos. Havendo acordo, é lavrada ata e o processo é encerrado; caso contrário, ele segue para debate e voto no Conselho de Ética.

Outros dois fatos importantes a serem registrados:

– Consumidores continuam dando origem à maioria dos processos abertos pelo Conar. As redes sociais se revelam motor poderoso a estimular denúncias mas também tornaram mais frequente o recebimento pelo Conar de menções de apoio à uma campanha objeto de processo ético. Vale ressaltar que as mensagens de apoio são devidamente consideradas e passam a integrar o processo, tanto quanto as reclamações.

– No ano passado, reclamações contra peças publicitárias no meio internet igualaram aquelas contra anúncios veiculados em TV, mostrando a relevância crescente do novo meio de comunicação.

No site www.conar.org.br, na aba “Decisões”, é possível encontrar estatísticas completas sobre o desempenho do Conselho de Ética do Conar em 2015.

*Gilberto C. Leifert, presidente do Conar