Notícias

TV Cultura quer atrair publicidade com nova programação

Ideia é aproximar mercado da emissora por meio de Lei de Incentivo; nova grade terá programas inéditos e distribuição via streaming

Por Marina Oliveira
Fonte: https://propmark.com.br/midia/tv-cultura-quer-atrair-publicidade-com-nova-programacao/

A TV Cultura reuniu nesta quinta-feira (30) membros do mercado publicitário, anunciantes, elenco e autoridades no Palácio dos Bandeirantes, sede do Governo do Estado de São Paulo, para a apresentação da sua nova grade de programação de rádio e televisão.

O plano é parte da reestruturação da emissora pública, que desde junho de 2019 é presidida por José Roberto Maluf, que também lidera a Fundação Padre Anchieta, mantenedora da TV Cultura. Um dos objetivos do evento, segundo Sérgio Sá Leitão, secretário de cultura e economia criativa do Estado de São Paulo, é aproximar a emissora do mercado publicitário e da iniciativa privada apresentando um balanço das atividades dos últimos meses e os planos para 2020.

“Queremos o apoio da iniciativa privada para que que a TV Cultura possa apresentar aos cidadãos um conteúdo ainda melhor e alcançar mais público. É possível combinar a publicidade na TV Cultura com o uso de Leis de Incentivo. […] e que haja publicidade, branded content e apoio cultural. Tudo o que a TV Cultura faz é educacional e de informação de qualidade. É possível ter uma dupla vitória pela divulgação da marca e do uso de incentivo”, disse o secretário.

Para Maluf, uma forma de incentivo para o mercado publicitário é justamente o fato de o anunciante não precisar pagar pelo espaço, se valendo da tributação. “Ele não paga, simplesmente deixa de recolher imposto. E coloca até 4% do imposto conosco em anúncio e isso é uma grande vantagem. Toda a nossa programação é incentivável. Ele pode gastar aquilo que ele deixa de recolher de imposto e este diferencial só nós temos”, diz.

Ainda segundo Maluf, a direção da emissora está buscando incentivo em diferentes áreas. “Locamos estúdios, facilidades técnicas, cedemos o licenciamento de nossos produtos, como por exemplo os bonecos do Rá Tim Bum para a Netflix, para lançar a programação infantil deles. Produzimos a TV Câmara, coproduzimos a TV para a Assembleia Legislativa, nós temos receita na TV fechada com Rá Tim Bum, enfim, a gente vai buscar onde é possível para poder produzir os programas que estamos tentando produzir”, vaticina.

Um dos programas que serão gravados neste formato de locação de estúdios é a nova temporada de O Aprendiz. A emissora também vai pulverizar sua programação levando seu conteúdo para o streaming. A partir de 15 de fevereiro, parte dos programas da TV Cultura estarão disponíveis no UOL. Em seguida, também devem estar no catálogo da Amazon Prime, Kinopop e Encripta, além de manter seus canais no YouTube.  

De acordo com Erh Ray, CEO da BETC/Havas, há espaço para parcerias comerciais entre o mercado e a emissora. “Eu sempre acredito que o conteúdo é fundamental para que a comunicação siga, acredito na curadoria da TV Cultura. Existe, óbvio, muitas amarras, mas acho que a profissionalização e abrir cada vez mais para o mercado gera novos negócios e faz com que a TV seja tão forte como qualquer outra TV pública em outros países”, disse.

O Governador João Doria fez um apelo aos convidados, lembrando que além da TV, a rádio Cultura também tem espaço para parcerias comerciais. “O meu recado para o mercado publicitário é que a direção da TV e do rádio dão as boas-vindas ao investimento privado. Todas as TVs educativas modernas, a PBS e a BBC, por exemplo, têm anunciantes”, enfatizou. “Aos anunciantes que aqui estão, peço: vamos estimular para que apoiem e patrocinem a TV Cultura. Não só pelo benefício fiscal, mas pelos valores da emissora”, disse.

Fernando Musa, CEO da Ogilvy, atenta para este novo momento e as possíveis parcerias que podem vir a surgir. “O mercado anunciante tem de apoiar tudo que está relacionado à cultura e conteúdo de qualidade. Nossa obrigação é entender este novo momento da TV Cultura e ver como a gente vai trazer a iniciativa privada aqui para dentro para melhorar ainda mais aquilo que faz parte da nossa história. Temos essa obrigação com esta marca. E estou aqui para entender este novo momento e entender como a Ogilvy pode, junto com seus clientes, participar deste novo momento da TV Cultura”, aponta.

Destaques
Durante o evento, Maluf deu destaque ao Jornal da Cultura, que se firma diante da audiência. Segundo o presidente da TV Cultura, entre agosto de 2019 e janeiro deste ano, o jornalístico registrou aumento de 80% em sua audiência.

O Roda Viva, que ganhou o Prêmio APCA como melhor programa jornalístico de 2019, também é uma das produções televisivas com maior repercussão na internet, de acordo com Maluf. A edição de estreia com a apresentadora Vera Magalhães, que recebeu o ministro Sergio Moro na última semana, já alcançou dois milhões de visualizações no YouTube. O programa também vem figurando em primeiro lugar dos assuntos mais comentados do Twitter no Brasil e no mundo.

Já o Quintal da Cultura segue como principal produto infantil da emissora, tendo atingido no final do ano passado um milhão de seguidores no canal do Youtube, também de acordo com Maluf.

Nova programação
Para 2020, a programação da emissora foi planejada para atender a todos os segmentos do mercado, baseado nos pilares de Cultura, Educação e Informação.

A emissora prometeu um novo jornal na hora do almoço intitulado Jornal da Tarde. Com apresentação de Marcelo Tas, em sua reestreia, o #Provoca vem com cenário novo e novas vinhetas.

O Agrocultura ganha nova roupagem para abordar o segmento de agronegócio. A atração passa a ser uma plataforma multimídia.

Outra novidade é o Jornal da Ciência, totalmente dedicado a comunicar a produção científica brasileira. Junto ao Sebrae, o canal está desenvolvendo um novo programa sobre Empreendedorismo.

Numa coprodução, a TV Cultura leva ao ar o programa Águias da Cidade, em que acompanha o cotidiano do Grupamento Aéreo da Polícia Militar do Estado de São Paulo.

O esporte também segue com força na tela da Cultura este ano, com a promessa de transmissões ao vivo e a chegada do Hora do Esporte, que dá espaço a várias modalidades como vôlei, basquete, skate e esports.

Em Variedades e Entretenimento, a Cultura prepara uma linha de shows no primetime para acomodar o Talentos, reality show que pretende revelar a nova estrela do teatro musical brasileiro, com apresentação de Jarbas Homem de Mello.

O Festival de Música Brasileira e o Prelúdio, concurso que revela jovens talentos da música clássica, também estão presentes na programação 2020. E tem ainda a cobertura do tradicional Festival de Campos Do Jordão.

Também este ano a TV Cultura terá um programa dedicado à dança, o Influências Brasil, com o consagrado coreógrafo Ismael Ivo. E o Periféricos, uma revista sobre cultura hip-hop, com abordagem jovem.

Já o Contraponto, sob o comando de João Marcello Bôscoli, vai abordar visões distintas sobre um mesmo assunto.

Na área da dramaturgia a aposta é em O Menino do Caixote Azul, uma série para reforçar o patrimônio da Cultura em produção de conteúdo infantil.

No que diz respeito a documentários, a TV Cultura prepara a série Docs Modernistas, sobre os mais consagrados nomes deste movimento como Tarsila do Amaral e Oswald de Andrade.

Em Educação, além do Campus em Ação, que dá espaço à produção acadêmica brasileira, eles apresentam o Mochileiro e Em Ação, em que um jovem viajante decifra diferentes campos de empreendedorismo e emprego.

Fonte: https://propmark.com.br/midia/tv-cultura-quer-atrair-publicidade-com-nova-programacao/